Página principal / Dicas de RH

24/01/2017

Contrato de Despedida

João Xavier



O processo de encerramento de atividades de uma empresa ou indústria requer grande atenção, afinal é um processo que demanda muitos recursos. Não se trata de apenas demitir os funcionários, apagar a luz, fechar a porta. É preciso encerrar contratos com fornecedores e, principalmente, de clientes. E para isso, muitas vezes se faz necessário a manutenção de uma pequena equipe (e maquinário) para cumprir alguns contratos e cuidar da estratégia de encerramento: vendas (ou transporte) de ativos, cronograma de desligamentos, papeladas legais.

Isso não só requer muito dinheiro, como também pessoas comprometidas com o encerramento – o que parece um contrassenso, afinal, o cumprimento da meta maior coincide com o seu próprio desligamento, por isso há consenso entre as empresas de que algo precisa ser feito para que haja engajamento entre essa meta e a continuidade da carreira daqueles que nela se empenharam.

Normalmente são ofertados alguns benefícios como:

- Bônus (prêmios), normalmente expresso em quantidade de meses de trabalho;
- Prorrogação de assistências médicas ou odontológicas;
- Assessoria no processo de recolocação e continuidade do projeto de carreira do profissional.

Esses benefícios precisam ser bem administrados, pois representam um custo, bastante visível (tangível) por sinal, e uma receita um tanto subjetiva (intangível) - representável apenas sob a forma de empenho e/ou satisfação do cliente – o custo da saída de um profissional que não aderiu ao projeto, por acreditar que naquele momento um novo emprego seria mais seguro do que os benefícios ofertados, é impossível de ser calculado.

Ofertar um programa de Assessoria para Recolocação pode reduzir significativamente a ansiedade gerada pelo medo da perda do emprego, afinal, o colaborador sabe que será profissionalmente assistido em seu projeto de continuidade da carreira. Sem falar do apoio psicológico e emocional em um momento crucial – digo crucial e não delicado, pois essas rupturas sempre ocultam as possibilidades.

Em nossos programas de Transição Profissional sempre nos preocupamos em:

- Facilitar a construção de um plano de carreira;
- Ampliar o horizonte de possibilidades de carreira;
- Diminuir o impacto psicológico/emocional;
- Acelerar a recolocação.

Existe uma transição ainda mais complexa: a mudança de site (ou cidade). Ela é mais complexa pois muitas vezes envolve a mudança de uma família, e não só do profissional e mudar de cidade é mudar toda sua vida: família, escola, amigos, clube, atividades de lazer.

Existem profissionais que fazem parte do plano de mudança da organização e, portanto, é dada como certa a sua adesão, mas muitos deles certamente não a seguirão; existem profissionais menos cobiçados, logo, com menor preocupação quanto a sua adesão; assim como existem aqueles que não mais fazem parte dos planos.

Para o primeiro caso, daqueles estratégicos à organização, um programa de outplacement para o cônjuge pode ser uma boa estratégia para minimização do impacto da mudança, logo, maior aderência do profissional. E para os demais casos, um programa de assessoria para recolocação profissional pode ser condição essencial para uma transição mais tranquila, responsável e com cumprimento dos compromissos com fornecedores e clientes.

A Ricardo Xavier Recursos Humanos se orgulha de ser pioneira neste tipo de serviço, sendo detentora do conhecimento e desenvolvimento dessa metodologia.


   

Seu nome:

Seu e-mail:

Nome destinatário:

E-mail destinatário:

Mensagem:




Todos os direitos reservados à Ricardo Xavier Recursos Humanos®
A reprodução, parcial ou total, do conteúdo deste site é permitida, bastando mencionar a fonte.