Página principal / Dicas de RH

19/12/2007

Feedback, ou Retorno, aumenta as possibilidades de recolocação

Patricia Fadini



Desenvolver um trabalho com êxito ou obter sucesso na busca de um novo emprego é uma conquista que deve envolver a preocupação de buscar informações sobre os resultados alcançados, usando os comentários obtidos para ajustar o comportamento e as ações de forma a garantir que o objetivo seja alcançado. Essas informações buscadas são chamadas de feedback, ou retorno.

Este retorno é necessário porque não é possível ter plena certeza de que o trabalho realizado terá o resultado imaginado. Assim, o feedback se faz necessário não só num processo de seleção para uma vaga, mas também no dia-a-dia do profissional no trabalho, na repercussão das ações realizadas na empresa. Porém, é no processo seletivo que a ferramenta adquire um peso ainda maior. O feedback é importantíssimo para que o candidato tenha visão crítica de sua atuação diante de cada entrevista, redirecionando seu discurso de acordo com as considerações adequadas.

Nos dias de hoje, em que o mercado de trabalho está altamente competitivo, quem já está empregado e possui um cargo de destaque busca se manter neste; quem está disponível no mercado tenta uma colocação; e quem está interessado em mudar de área de atuação, tem que se arriscar. Mas como saber se o caminho que está sendo percorrido é o certo? Se as estratégias usadas são as melhores? Se a dedicação para alcançar o objetivo tem sido suficiente? O feedback serve exatamente para posicionar o profissional, para dar o retorno que ele necessita e auxiliá-lo nas próximas tentativas.

Mas, atenção! É preciso cuidado na hora de dar o feedback, principalmente se houver problemas a serem corrigidos. A ferramenta deve servir para motivar o profissional e, se for uma critica, deve ser feita de forma construtiva. Se o candidato é reprovado no processo de seleção, por exemplo, o feedback deve primeiramente apontar os seus aspectos positivos e em seguida devem ser mencionadas as competências ou questões técnicas que ele não tenha apresentado. Vale ressaltar que este retorno diz respeito a uma determinada vaga, e não se trata de uma tendência de mercado. Em casos de reprovação por questões pessoais, comportamentais, inadequações visíveis ou inflexibilidade, é preciso manter cautela na forma de se colocar, pois os comentários podem ser interpretados de forma errada.

E quando o feedback não vem...

Muitos profissionais desconhecem a razão pela qual não foram aprovados no processo de seleção e continuam as tentativas sem saber onde estão errando e como melhorar. Neste caso, o ideal é que o candidato entre em contato com quem o entrevistou após o prazo acordado na entrevista e peça um retorno sobre o seu desempenho no processo. E atenção: muito cuidado para não se tornar insistente e demonstrar ansiedade excessiva! É preciso lembrar que alguns processos levam mais tempo do que o esperado, pois não dependem apenas do selecionador, mas também do Gerente ou Diretor da área.

* Patrícia Fadini, psicóloga, é Gerente de Consultoria da Ricardo Xavier Recursos Humanos
E-mail: patriciafadini@ricardoxavier.com.br




   

Seu nome:

Seu e-mail:

Nome destinatário:

E-mail destinatário:

Mensagem:




Todos os direitos reservados à Ricardo Xavier Recursos Humanos®
A reprodução, parcial ou total, do conteúdo deste site é permitida, bastando mencionar a fonte.