Página principal / Reportagens

29/01/2015


Especialistas avaliam o efeito do WhatsApp web em ambientes de trabalho



Por: Thiago Jansen


RIO - Com mais de 700 milhões de usuários ativos mensais, o WhatsApp é um dos aplicativos mais populares do momento. Por isso, a notícia divulgada anteontem de que o seu serviço agora pode ser acessado a partir de computadores, e não mais só por meio de smartphones, vêm causado alvoroço nas redes sociais: enquanto alguns comemoram a nova praticidade, outros se perguntam o que isso significará para a sua produtividade. Para especialistas em gestão do trabalho, no entanto, a novidade não deve provocar impactos negativos nas empresas — se bem utilizada, pode, inclusive, ser benéfica.

Por ora, o uso do app na web está restrito ao navegador Chrome, e ainda requer que o usuário tenha por perto o seu smartphone, com a versão mais recente do programa instalada. Ao acessar um endereço especial (https://web.whatsapp.com/) pelo computador, o usuário verá um QR Code na tela, que deve ser fotografado com o celular para que ele possa interagir com os seus contatos pelo navegador.

No entanto, somente usuários de aparelhos Android, Windows Phone e Blackberry podem ter acesso à nova função — donos de iPhones terão que esperar um pouco mais por ela devido a "limitações da plataforma da Apple", de acordo com a companhia.
Presidente do Grupo Foco, empresa especializada em recrutamento e consultoria de RH, Eline Kullock afirma que o WhatsApp hoje é uma das maiores febres digitais entre as pessoas, tal como outros programas de troca de mensagem como o ICQ já foram no passado. A diferença, segundo ela, é que atualmente as companhias já estão mais amadurecidas quanto ao uso das ferramentas digitais no ambiente de trabalho.

— Por isso acredito que a novidade do WhatsApp não deve gerar muito impacto nas companhias, seja pelo lado dos usuários ou dos gestores. De certo modo, a dinâmica que o uso do app pelo computador vai levar às empresas é algo já enfrentado com as redes sociais e outros serviços de comunicação digital disponíveis no computador — explica Kullock.
Para ela, a restrição total do uso do WhatsApp pelo computador no ambiente de trabalho, ou de qualquer outra ferramenta digital, não é o caminho mais produtivo para lidar a questão dentro das empresas. No entanto, Kullock também ressalta que os funcionários precisam ter bom senso no uso desses serviços.

— É preciso que os gestores não tenham receio dessas ferramentas e das novas dinâmicas trazidas por elas, mas sim se adaptem a elas. E, claro, por parte dos funcionários é importante manter um equilíbrio no uso da app, como já devem fazer qualquer outro site ou serviço — afirma a especialistas. — Claro, possivelmente haverão excessos, mas eles devem ser vistos como pontos fora da curva e requerem orientação.

Com oito anos de passagens por multinacionais estrangeiras, a gerente de RH Clariana Narega diz que já trabalhou em empresas muito rígidas com o controle do uso de ferramentas digitais, e outras completamente flexíveis. Por sua experiência, ela diz considerar mais benéfico, tanto para a companhia como para os seus funcionários, quando esses serviços são integrados ao dia a dia dos trabalhadores:

— Pelos lugares que já trabalhei, vejo que a restrição total normalmente mais atrapalha do que ajuda. Quando essas ferramentas são integradas à rotina do funcionário, elas podem até deixá-lo mais produtivo, já que a tornam mais agradável. Esse uso só vai prejudicar o desempenho do funcionário se ele já não for engajado com a sua atividade. E aí o erro da companhia foi selecioná-lo em primeiro lugar.

No caso do WhatsApp em específico, João Xavier, diretor da empresa de consultoria de RH Ricardo Xavier, afirma que, por ser uma ferramenta de comunicação, o app tem grande potencial para ser integrado na gestão de funcionários, e, inclusive já é usado por algumas em suas atividades.

— O superior de um setor pode, por exemplo, criar um grupo para se comunicar com os seus funcionários e agilizar a produção por meio dessa comunicação, que agora passa a ser facilitada pois pode ser feita pelo computador — explica ele. — Já existem diversas empresas que fazem uso do app para estabelecer contato com clientes, o que também vai ser beneficiado pela nova funcionalidade.

Como orientação para otimizar o uso do app no ambiente corporativo, Xavier recomenda que os gestores desenvolvam um manual de bons usos do serviço:

— É um modo de evitar excessos, e orientar o funcionário antes que ele cometa alguma postura inadequada.


Fonte: www.oglobo.oglobo.com.br


   

Seu nome:

Seu e-mail:

Nome destinatário:

E-mail destinatário:

Mensagem:




Todos os direitos reservados à Ricardo Xavier Recursos Humanos®
A reprodução, parcial ou total, do conteúdo deste site é permitida, bastando mencionar a fonte.